Qual a melhor hora para comer?

Comida e Emoções, Saúde
20 Abr, 2014

Eu não sou defensora de dietas. Aliás, dá-me arrepios só de escutar a palavra “dieta” e sou da opinião de que este mundo seria muito melhor sem elas! Trazem privação, stress, sofrimento, sentimento de culpa e mesmo que possam ajudar a perder peso, está provado que em 92% dos casos, esses quilos voltam num piscar de olhos!

Infelizmente, existe uma grande luta à volta da comida. Inconscientemente, muitas mulheres a veem como sendo um inimigo e perdem metade da sua vida a racionalizá-la – contando cada caloria, se vai engordar ou se vai de encontro à teoria do nutricionista “A” ou “B”, que promete mundos e fundos.

Muitas mulheres veem a comida como sendo um inimigo, quando é esse mesmo alimento que lhes permite viver

O que acaba por acontecer é que, cada vez mais, as pessoas estão a tornar-se obcecadas pela comida e cada refeição torna-se num motivo de stress. No entanto, estas mesmas pessoas – que já sabem quantas calorias tem uma folha de alface e quantas flexões necessitam fazer para as queimar – estão a esquecer-se de um componente fundamental! Elas podem ter o conhecimento todo sobre o que devem ou não comer, mas será que sabem qual a melhor hora para comer?

O que tu comes é tão importante quanto quando comes

O nosso organismo é regulado por biorritmos (imagina-os como sendo “relógios internos” que regulam os processos biológicos que acontecem no teu corpo). Ou seja, a determinados momentos do dia o organismo foca-se em desempenhar determinadas funções concentrando a sua energia nesses mesmos sistemas (digestivo, reprodutor, circulatório, etc). Acontece que esse “relógio interno” também tem um horário ideal para digerir os alimentos que tu comes, de modo a convertê-los em energia com a maior eficácia possível – pois o metabolismo digestivo encontra-se no seu auge. E se tu comeres dentro desses horários (e sem saltar refeições!), não só o teu corpo irá digerir essa comida muito mais rapidamente, como a absorção dos nutrientes será maior e a queima de calorias muito mais intensa.

Então, quais são os picos do metabolismo digestivo?

6.00 -9.30 horas

O metabolismo começa a acelerar no momento em que tu despertas. A temperatura corporal começa a subir e um bom pequeno-almoço vai fazer com que o metabolismo se torne ainda mais intenso e rápido, fornecendo às células a energia que necessita. Ou seja, saltares o pequeno-almoço irá desacelerar o metabolismo e armazenar gordura, pois o organismo interpreta essa falta de comida como um perigo e entra em “modo de sobrevivência”.

11.30-13.30 horas

O pico digestivo acontece quando o Sol se encontra, também, no seu pico (às 12.00 horas). Assim sendo, a refeição maior deverá ser feita a esta hora. Sugiro então que comas um bom almoço – constituído por uma combinação de alimentos que seja ideal para o teu corpo e estilo de vida – com calma, sem pressa e muito menos a ver o telemóvel! Lembra-te que, nesse momento, estás a alimentar o teu corpo e a dar-lhe a energia necessária para que ele possa continuar a realizar a sua função: dar-te vida.
Após o almoço, um grande aporte de sangue dirige-se para o teu estômago de modo a digerir todos os alimentos. Como resultado, podes sentir-te um pouco cansada e sonolenta. O melhor que podes fazer é dar esse descanso ao teu corpo de modo a que digestão se realize perfeitamente – e não bombardeá-lo com cafeína! Se não gostas de fazer sestas ou não tens tempo para as fazer, sugiro apenas que descanses uns 10-15min – nem que seja sentada a ler uma revista ou um livro (por favor diz-me que não será a ver o Facebook! ;).

Entre as 14.00 e as 17.00 horas, a temperatura corporal desce desacelerando também o metabolismo. Portanto, este não é um bom momento para comer e se o decidires fazer, tem em conta que a digestão será mais lenta e demorada. Comer fora dos picos de metabolismo digestivo pode levar, com o tempo, a um aumento de peso e fermentação a nível intestinal, pois os alimentos não estão a ser devidamente digeridos.

17.00-19.00 horas

A partir das 17.00 horas, o metabolismo começa a aumentar outra vez e é por isso que possas sentir mais fome a esta altura do dia. No entanto, esta última refeição deverá ser a mais ligeira. Eu escuto muita gente dizer-me: “Ó Francisca, por volta das 6 da tarde eu fico cheia de fome e não compreendo porquê?!”, ao que eu lhes respondo “hhmmm…talvez porque essa é a hora que o teu corpo te pede para jantar”.

O teu corpo sabe sempre o que é melhor para ele, inclusivamente quando e o que comer – é algo instintivo! Os problemas começam quando a mente se mete pelo meio e decide controlar as necessidades do corpo.

Eu sei que não é fácil adaptarmos os horários do nosso corpo aos horários da sociedade em que vivemos, mas ignorar as nossas necessidades biológicas não me parece boa ideia e, muito provavelmente, com o tempo o corpo irá manifestar esse descontentamento – com aumento de peso, gordura localizada, comer compulsivamente, entre tantos outros.

A esta hora, sugiro uma destas duas opções: um bom lanche que te permita aguentar até ao jantar (que não recomendo que ultrapasse as 20.30 horas) ou então jantares mesmo a esta hora. Talvez, no início, seja um pouco estranho jantares tão cedo (entre as 18.00 – 19.00 horas), mas acredita que quando começares a sentir os seus efeitos – digestões rápidas e ligeiras e ires dormir sentindo-te levezinha – vais adorar este novo horário!

A partir das 21.00 horas – mais especificamente com o anoitecer – o metabolismo volta a desacelerar, a produção de melatonina (a hormona do sono) inicia-se e o organismo prepara-se para dormir – momento em que irá trabalhar no rejuvenescimento, desintoxicação e renovação celular. Comer a partir deste momento irá desequilibrar os biorritmos do teu corpo e, como referi anteriormente, contribuir para o aumento de peso e problemas digestivos, e até mesmo distúrbios de sono.

Quer queiramos ou não, os nossos biorritmos encontram-se alinhados com os ritmos da Natureza e aceitá-los e respeitá-los é o segredo para um corpo + mente equilibrados. Se tens fome, come. Se tens sono, dorme. Se estás cansada, descansa. Sem desculpas. E se respeitares os seus biorritmos, o teu peso e apetite estarão equilibrados, as digestões irão ser ligeiras e rápidas e qualquer equilíbrio que possa estar a acontecer, irá ser reequilibrado.

 

Nota: apesar destes horários se aplicarem à grande maioria das pessoas, é conveniente que te assegures que se aplicam a ti também. No caso de teres diabetes, hipoglicemia, hipotensão ou algum outro sintoma, sugiro que converses com o teu médico, nutricionista clínico, pois poderás necessitar de algo diferente.

Francisca Guimarães

Francisca Guimarães

"No blog, partilho dicas que te vão ajudar a estar bonita, saudável, jovem e cheia de energia."

Share This