Escolha uma Página

Riscos de uma dieta alta em proteína animal

Antiaging, Beleza
6 Jun, 2013

Animal-protein-470x388Cortar no consumo de hidratos de carbono e aumentar o de proteína animal tem virado moda nas dietas de hoje em dia. A realidade é que os hidratos de carbono têm ganho uma má reputação e as mulheres fogem deles como se fossem os culpados pelo ganho de peso. Neste artigo, vou-te explicar quais os riscos de uma dieta alta em proteína animal e baixa em hidratos de carbono.

Baseadas no mito que existe à volta dos hidratos de carbono, as pessoas têm vindo a adotar uma alimentação alta em proteína sem estarem conscientes do seu perigo a longo prazo. A carne, ovos, peixe e queijo são escolhidos em vez de cereais e frutas de modo a perder ou manter o peso. No entanto, o que as pessoas ignoram é que não só este método não resulta a longo prazo, como também pode colocar a sua saúde em risco.

Os hidratos de carbono são a primeira, e melhor, fonte de energia para o corpo humano

Contudo, os hidratos de carbono a que me estou a referir não são os que tu estás, provavelmente, a pensar –  como o pão branco, arroz branco, massa branca, batata branca, açúcar de cana refinado, etc – porque estes, sim, engordam! De acordo com especialistas, os melhores hidratos de carbono para o nosso corpo são fruta e alguns cereais integrais como o quinoa, millet, arroz integral, trigo sarraceno, batata doce, espelta, kamut. E não, este tipo de hidratos de carbono não engordam!

Então, o que acontece quando o corpo não recebe a sua fonte de energia preferida (os hidratos de carbono)?

Tem que queimar a sua própria gordura e proteína de modo a ter energia para realizar as suas funções. O problema é que o resultado final deste metabolismo – corpos cetónicos – são substâncias bastante tóxicas, principalmente quando se começam a acumular levando a uma condição chamada “ceto-acidose”. Esta condição é muito perigosa e prejudicial para os orgãos vitais.

Uma vez que a maioria das pessoas receia ter um défice de proteína – mesmo que este cenário possa apenas acontecer em situações de fome extrema – e ganhar peso comendo hidratos de carbono, elas acabam por comer demasiada proteína.

Nós só necessitamos de cerca de 5-10% de proteína por dia

Só isso. E tu podes encontrar esta proteína em folhas verdes (espinafres, couves, acelgas, alface, etc), frutas, leguminosas, frutos secos, abacates, algas (principalmente spirulina). Não há necessidade de comer carne ou qualquer outra proteína de origem animal que não só carece de proteína de boa qualidade, como também pode engordar (devido ao excesso de gordura).

Aqui estão os efeitos secundários mais comuns de comer demasiada proteína animal:

1. MAU HÁLITO
Ó minha nossa, tenho a certeza que tu não queres mesmo este sintoma (nem o teu namorado)! Basicamente, tu começas a ter um cheiro semelhante a um carnívoro devido à acumulação de corpo cetónicos.

2. ALTOS NÍVEIS DE GORDURA NO SANGUE
A proteína animal tem demasiada gordura (de “má qualidade”). A taxa de pessoas com níveis altos de colesterol (principalmente LDL) tem vindo a aumentar exponencialmente e se analisarmos bem, apenas os animais tem colesterol, não as plantas. Logo, se queres nivelar os teus níveis de colesterol experimenta cortar nos alimentos de origem animal (carne, peixe, iogurtes, queijo, manteiga, ovos) e aumentar o consumo de omega 3 (uma excelente gordura que ajuda a nivelar o colesterol). No entanto, sugiro que apenas o faças após teres consultado o teu médico.

3. PERDA DE MASSA MUSCULAR
Não estavas à espera desta, pois não?! As pessoas – principalmente os homens – comem mais proteína de modo a ganharem mais massa muscular, certo? No entanto, e como expliquei anteriormente, privares-te de comer hidratos de carbono faz com que o teu corpo queime a sua própria proteína para usar como energia, fazendo com que provoque o efeito contrário.

4. PRISÃO DE VENTRE
Eu não tenho um único cliente que não sofra, mesmo que apenas um pouco, de prisão de ventre. E isto apenas me diz que estão a comer pouca fibra e adivinha lá…produtos de origem animal não tem fibra! Tu precisas de alimentos que sejam ricos em nutrientes e fibra de maneira a nutrires as tuas células e livrares-te dos resíduos. Se estás a comer algo que não tenha esta “vassoura” (fibra) para limpar os teus intestinos, vais acabar por acumular muitos resíduos/toxinas (e como já deves ter lido no artigo “Queres saber porque tens o “barriguinha”?“, (excesso de gordura = toxinas).

5. DÉFICE DE VITAMINAS E MINERAIS
As vitaminas e minerais que o teu corpo necessita para prosperar encontram-se, principalmente, na fruta, vegetais e cereais integrais e não em animais. Aliás, para além de proteína e vitamina B12 – e de fraca qualidade – a proteína animal carece de conteúdo nutricional, o que significa que não só não te nutre como também cria um caos no no teu lindo corpinho.

6. FALHO RENAL
Demasiada proteína e, consequentemente, corpos cetónicos provocam muita tensão e desgaste nos rins o que pode levar a doenças renais – nomeadamente pedras renais.

7. CANSAÇO E FRAQUEZA
Esta é uma das coisas que eu mais ouço: “sinto-me cansada e com falta de energia e vitalidade”.

Minha querida, tu só irás sentir-te extremamente viva e enérgica quando começares a alimentar o teu corpo com alimentos que estejam vivos!

E isto é tão óbvio! A proteína animal – e até mesmo a vegetal – não te dá a vitalidade que tu procuras, ao contrário das vitaminas, enzimas, minerais, fitonutrientes, etc.

8. OSTEOPOROSE
Perda de densidade óssea acontece quando o cálcio é removido dos ossos. Uma das principais razões porque isto acontece é devido ao facto de que o cálcio é necessário para compensar a acidez que a proteína animal provoca a nível do sangue. Por isso, quando o este fica demasiado ácido o cálcio, entre outros minerais alcalinos, são movidos dos seus lugares  – ossos e dentes, por exemplo – para o sangue de modo a alcalinizar o organismo e reequilibrar o ph. Aliás, de acordo com pesquisas médicas, “quanto maior a quantidade de proteína ingerida, maior é a quantidade de cálcio excretada”.

9. NÍVEIS ELEVADOS DE TOXICIDADE
Toxinas como a purina, amónia e ácido úrico são produto final da digestão da proteína animal. Estas substâncias são absorvidas na tua circulação sanguínea e andam pelo teu corpo envenenando cada um dos teus orgãos. Para além disso, produtos de animais de criação estão cheios de antibióticos e hormonas, pesticidas, fertilizantes químicos e organismos geneticamente modificados que se encontram nos alimentos que eles comem. E todas estas toxinas vão passar para o teu corpo uma vez que comas o animal. Pensem nisto, meninas.

ENVELHECIMENTO PRECOCE
O ph da proteína animal é extremamente adificante para o organismo o que provoca o aparecimento radicais livres levando, consequentemente, ao envelhecimento precoce.

O nosso corpo tem necessidades nutricionais específicas que incluem as proteínas, gorduras, hidratos de carbono e muitos outros. Quando tu te deprivas de um destes nutrientes, o teu corpo fica desequilibrado e os teus orgãos irão sofrer várias deficiências que poderão causar condições graves de saúde. Existem pessoas que toleram melhor a proteína animal do que outras. No entanto é preciso saber dosear, saber com que alimentos combinar e assegurar-se de que é de origem biológica.

Partilha este artigo no Facebook, e ajuda outras pessoas a conhecerem os riscos de uma dieta alta em proteína animal.

Francisca Guimarães - Miss Kale

Francisca Guimarães

"No blog, partilho dicas que te vão ajudar a estar bonita, saudável, jovem e cheia de energia."

EBOOKS

 

MARCAS QUE RECOMENDO

logo - conasi

Logo Circulobio

Logo Simplyflow by Fatima Lopes