Escolha uma Página

Porque é que eu não frequento ginásios

Antiaging, Beleza, Corpo e Alma, Saúde
17 Nov, 2014

IMG_GoogleHá mais de 10 anos que não frequento ginásios e não pretendo voltar a fazê-lo. 

Desde criança que o exercício físico foi uma constante nos meus dias. Fiz ballet durante nove anos, nadei durante seis e, pelo meio, fui fazendo outras modalidades que acabavam por preencher todo o meu tempo livre. Assim que entrei na adolescência, cansei-me do ballet e de nadar e decidi ir com as minhas amigas para um ginásio.

Eram aulas de step, aeróbica, dança, aulas de spinning até cair para o lado, máquinas que mais pareciam instrumentos de tortura, já para não falar na falta de higiene nos balneários e do ambiente, na minha opinião, fútil, elitista e competitivo. Por vezes tinha a impressão de que os ginásios eram apenas um ponto de engate e “show off“, assim como uma oportunidade para as pessoas se compararem umas com as outras, acabando por se sentirem ou muito bem ou muito mal com elas mesmas – tudo ego!

Quando um problema que tinha, desde criança, na coluna agravou, vi-me forçada a sair do ginásio e a iniciar uma prática terapêutica de yoga Iyengar, que acabou por ser a minha “salvação”, em muitos aspetos. Para além de ter ajudado imensamente o meu corpo (e mente!), ajudou-me também a ver os ginásios desde um outro ponto de vista. O facto de estar a fazer exercício físico num lugar tranquilo, acolhedor, com luz, arejado e livre daquela atmosfera energeticamente tóxica, fez-me ganhar consciência sobre o impacto que os lugares têm em nós.

Se analisarmos bem, e formos ao fundo da questão, com certeza iremos concordar em que todos buscamos, acima de tudo, paz e felicidade. Todos procuramos a plenitude última que nos irá trazer aceitação, alegria, serenidade, liberdade e harmonia, com nós mesmos e com os outros. Contudo, e de maneira a encontrar este Santo Graal, nós precisamos escolher um caminho que nos leve até ele. E, esse caminho passa por selecionarmos não só as pessoas que nos rodeiam, os alimentos que comemos, os pensamentos em que acreditamos, os padrões de comportamento que não nos servem, etc., assim como os lugares que frequentamos.

Como é que haverás de encontrar a saúde, beleza, juventude e tranquilidade que tanto desejas em lugares que emanam exatamente o oposto?

Eu acredito firmemente em que um estado ótimo de saúde e beleza acontece quando, em primeira instância, respeitamos o nosso corpo. Se cuidarmos dele como sendo algo precioso (porque é!) e delicado (porque é!), em vez de um objeto para satisfazer as vontades do ego, ele será completamente diferente e terá, finalmente, a oportunidade de brilhar e cumprir o seu papel: servir o nosso propósito. Mas, de maneira a conseguirmos cuidar do corpo como ele necessita e merece, precisamos ter atenção aos locais onde o levamos e ao que é que o submetemos.

O exercício físico é um aspeto basilar para a saúde, longevidade e bem-estar do corpo (e da mente) e é algo que todas as pessoas o devem fazer, diariamente. Porém, é necessário saber escolher qual o lugar ideal para treinar. De preferência, que seja um local que ofereça as condições que tu consideres ser essenciais. Para mim, essas condições são: tranquilidade (sem música aos berros!); luz natural; espaços amplos e bem arejados (sem ar condicionado); ter bons profissionais e devidamente qualificados e que seja absolutamente limpo e higiénico.

Uma vez que considero que o lugar que frequento, aqui em Lisboa, reúne todas as características fundamentais que acabo de descrever, no próximo artigo eu irei partilhar convosco qual é ; )     (Clica aqui para o leres)

Francisca Guimarães - Miss Kale

Francisca Guimarães

"No blog, partilho dicas que te vão ajudar a estar bonita, saudável, jovem e cheia de energia."

EBOOKS

 

MARCAS QUE RECOMENDO

logo - conasi

 

logo - ORGANII

Logo Circulobio

Logo Simplyflow by Fatima Lopes