Sumos: será que são assim tão saudáveis?

Antiaging, Beleza, Receitas, Saúde
28 Mai, 2015

Como já deves ter reparado, a “alimentação saudável” virou moda. Os supermercados biológicos estão cada vez mais movimentados, os livros sobre o tema caem das prateleiras das livrarias, os supermercados convencionais já oferecem variados produtos considerados “saudáveis” e até a minha avó já bebe batidos verdes e substitui o açúcar por stevia!

A consciência acerca da importância que a alimentação apresenta para a saúde e bem-estar está maior do que nunca e, se isto se deve ao facto da “alimentação saudável” ter virado moda, espero que esta tenha vindo para ficar!

Uma das coisas que me apercebo ter virado tendência, dentro da moda da alimentação saudável, são os sumos. É já comum encontrarmos sumos naturais em cafés de rua, restaurantes e centros comerciais, já para não mencionar os juice bars que estão constantemente a abrir pelas ruas mais movimentadas do país.

No entanto, será que os sumos são assim tão “saudáveis”?

Sumos não são batidos.

Um pequeno parênteses: sumos são diferentes de batidos. Um batido consiste na trituração de alimentos, geralmente fruta, enquanto que um sumo consiste na extração do próprio sumo dos alimentos, deixando a sua fibra de parte. A preparação de um batido requere uma liquidificadora ou até mesmo uma varinha mágica. A preparação de um sumo requere uma boa máquina de fazer sumos*. Ambos apresentam vantagens e desvantagens, sendo que um não substitui o outro.

Antes de te dar a minha resposta/opinião acerca desta questão, vou enumerar alguns dos factos mais importantes acerca dos sumos:

1. Os sumos oferecem uma grande quantidade de micronutrientes.

Os micronutrientes (vitaminas e minerais) são nutrientes que, ao contrários dos macronutrientes (proteína, hidratos de carbono, gordura), são necessários em pequenas quantidades. No entanto, estes nutrientes apresentam funções essenciais para a saúde do nosso organismo e a sua carência poderá levar a problemas graves de saúde.

Na preparação de um sumo, vários vegetais e frutas (ambos ricos em micronutrientes) são utilizados, ou seja, em apenas um copo de sumo encontra-se uma grande quantidade destes micronutrientes tão importantes.

2. A absorção dos nutrientes presentes nos sumos é rápida e económica.

Uma vez que durante a preparação dos sumos, a fibra é retirada, a absorção dos nutrientes para a corrente sanguínea é muito rápida. Desta maneira, o organismo beneficia dos nutrientes presentes nos sumos sem necessitar de despender energia em processos digestivos.

3. Os sumos não fornecem fibra

Como acabei de mencionar, a fibra dos alimentos, que é fundamental para o bom funcionamento do sistema digestivo, é retirada durante a preparação de um sumo (contrariamente ao que acontece com os batidos). A fibra é a porção dos alimentos vegetais que não é digerida pelo nosso organismo. As suas principais funções são as de auxiliar na absorção dos nutrientes, movimentar os alimentos e seus resíduos através de todo o tubo digestivo e ajudar na formação e eliminação de fezes, prevenindo obstipação.

4. Os sumos poderão interferir com os níveis de glicemia (açúcar no sangue)

Um dos maiores erros que vejo em muitas receitas de sumos é o excesso de ingredientes com um alto índice glicémico (medida que avalia o impacto que a glucose/açúcar de um certo alimento irá ter nos níveis de glicemia), principalmente quando retirada a fibra. Um sumo que contenha apenas fruta, por exemplo, será muito alto em frutose (açúcar), o que poderá contribuir para o aumento de peso, desenvolvimento de problemas dentários e interferir com os níveis de glicemia – podendo levar ao aparecimento de diabetes (a par de outros fatores, claro!).

No caso de quereres incluir fruta no teu sumo, a proporção deverá ser: 3 peças de vegetais para 1 de fruta (espreita a receita em baixo)

Os sumos são um meio delicioso e fácil de fornecermos nutrientes fundamentais ao nosso organismo – aliás, eu costumo dizer que os sumos e batidos são os verdadeiros suplementos multivitamínicos! Considero os sumos saudáveis desde que preparados e consumidos com consciência, ou seja, com o devido conhecimento sobre os alimentos de maneira a que nos sejam benéficos, não prejudiciais.

No passado domingo, tive o prazer de estar presente no Dia Aberto da famosa Quinta do Arneiro, a servir uma “Limonada de kale” (kale, ou couve frisada, é um tipo de couve altamente nutritiva e ainda rara em Portugal), que é uma das bebidas que mais tenho consumido nos últimos anos.

LIMONADA DE KALE

(2 copos)

1 pepino médio, cortado longitudinalmente em 4

1/2 maçã

4-5 talos de kale (também podes usar espinafres ou acelgas)

1 limão, cortado em 4

1 copo de água filtrada (opcional)

2-3 folhas de menta (opcional)

2-3 gotas de stevia (opcional)

– Passar todos os ingredientes, excepto a água e a stevia, pela máquina de sumos;

– Adicionar a stevia e a água, se assim preferires;

– Beber, de preferência, de imediato para não se perderem nutrientes.

 

*- nem todas as máquinas de sumos têm a potência necessária para extrair devidamente o sumo dos alimentos, nomeadamente das folhas verdes. Para quem estiver interessado numa boa máquina de sumos, a que eu utilizo há anos e que recomendo é a Omega 8006. (Não tenho qualquer tipo de parceria com eles. É apenas a minha recomendação pessoal.)

 

Partilha aqui este artigo com quem aches que poderá usufruir dos benefícios maravilhosos dos sumos.

Francisca Guimarães

Francisca Guimarães

"No blog, partilho dicas que te vão ajudar a estar bonita, saudável, jovem e cheia de energia."

Share This