Será que o teu desodorizante contém algum destes 4 tóxicos?

Beleza, Saúde
30 Abr, 2017

Os desodorizantes convencionais podem ser uma fonte de toxicidade, nomeadamente de metais pesados. Contudo, existe uma fórmula de desodorizante natural que não só é eficaz a neutralizar o mau odor, como também se encontra livre de tóxicos.

O que provoca o mau odor?

A transpiração é um processo natural e necessário ao equilíbrio interno do teu corpo. Para teres uma ideia, algumas das principais funções da transpiração consistem na regulação da temperatura corporal, eliminação de toxinas, destruição de certos vírus e bactérias e remoção de impurezas da pele.

O mau odor corporal não provém da transpiração em si, mas dos subprodutos produzidos pelas bactérias que se encontram presentes, neste caso, nas axilas.

Este tipo de bactérias procura meios tóxicos, ácidos e pouco oxigenados. Deste modo, o mau odor corporal poderá ser um indicador de que o teu corpo precisa desintoxicar*, de maneira a eliminar o excesso de toxicidade que poderá estar a desencadear este sintoma tão desagradável.

De maneira a evitar transpirar e prevenir o mau odor, a maioria das pessoas recorre aos desodorizantes convencionais. No entanto, o que talvez desconheças é que ao bloqueares os poros, com anti transpirantes, poderás estar a impedir que certas toxinas e tóxicos sejam expelidos pelos poros, resultando num aumento da toxicidade interna.

Mais, a utilização de certos desodorizantes convencionais, poderá contribuir para o mau odor corporal, uma vez que se encontram repletos de tóxicos.

O teu desodorizante contém algum destes ingredientes?

ALUMÍNIO

O alumínio, ou aluminium, é um metal pesado e uma neurotoxina, que se encontra presente na maioria dos desodorizantes antitranspirantes, e que possui a capacidade de bloquear os ductos da transpiração.

Vários estudos (aqui está um exemplo) têm relacionado este tóxico com o cancro de mama, defendendo que por apresentar um perfil genotóxico, tem a capacidade de provocar alterações genéticas nas células com as quais contacta. Para além disso, o alumínio pode também interferir com o bom funcionamento do sistema endócrino, nomeadamente com os recetores dos estrogéneos presentes em células mamárias cancerígenas.

O facto deste metal impedir a eficaz eliminação de toxinas, faz com que estas se alogem nos tecidos mais próximos – como no tecido mamário -, podendo dar origem a células tumorais.

A presença de alúminio no organismo, encontra-se também relacionada com problemas de infertilidade, alergias, irritações, problemas de toxicidade em diferentes orgãos vitais e Alzheimer.

PARABENOS 

Os parabenos – possivelmente listados como methyl paraben, ethyl paraben, propyl paraben, butyl paraben, isobutyl paraben ou E216 – são commumente utilizados no fabrico de desodorizantes. Esta substância é facilmente absorvida pela pele, tanto que um estudo, apresentado na U.S. National Library of  Medicine, concluiu ser possível encontrar vestígios de parabenos no leite materno, urina e plasma sanguíneo.

Os parabenos apresentam propriedades fitoestrogénicas, o que significa que têm a capacidade de mimicar a hormona feminina “estrogénio”, naturalmente presente no corpo humano. Isto faz com que os parabenos sejam considerados “desreguladores hormonais” pois, tal como o contraceptivo oral por exemplo, poderão interferir com o normal funcionamento hormonal do organismo, podendo mesmo contribuir para o aparecimento de problemas relacionados com a fertilidade, densidade óssea e, o mais comum, cancro da mama – neste mesmo estudo, os investigadores puderam encontrar vestígios de parabenos em tecidos humanos de cancro da mama, sugerindo mesmo que “a sua origem pode estar na aplicação tópica de cosméticos”.

Neste artigo, a Food and Drug Administration (FDA) afirma que os parabenos apresentam uma atividade fitoestrogénica inferior à atividade dos estrogénios e que, se usados em pequenas doses, não têm porque apresentar qualquer risco para a saúde. Contudo, é preciso teres em conta que os parabenos encontram-se presentes na grande maioria dos cosméticos e que, se ainda por cima forem utilizados numa base diária, as “pequenas doses”, referidas pela FDA, tornam-se “grandes”.

PROPILENO GLICOL

O propileno glicol – possivelmente listado como propylene glycol (PG) – é um subproduto do refinamento do petróleo e é utilizado em variados produtos de cosmética, como desodorizantes, bases líquidas, cremes hidratantes, batons, amaciadores e champôs.

Segundo um artigo publicado na United States Environmental Protection Agency (EPA), a exposição frequente ao propileno glicol encontra-se associada a “irritação dérmica e edema das membranas mucosas”, também podendo provocar “irritação dos olhos, nariz e garganta”.

FRAGRÂNCIAS

A grande maioria dos desodorizantes, e outros produtos de cosmética, contém fragrâncias sintéticas. O principal problema relacionado com estas substâncias é que não se encontram bem reguladas, ou seja, por detrás do nome “fragrância” pode encontrar-se um outro ingrediente que não esteja especificado. Em vez de “fragrância”, estas substâncias sintéticas podem estar listadas utilizando designações como “DBP”, “Di-n-butyl phthalate”, “dibutyl 1,2-benzene dicarboxylate”, entre tantos outros. A maioria destes químicos encontra-se relacionada com dores de cabeça, tonturas, alergias e erupções cutâneas. De acordo com um artigo publicado na EPA, as fragrâncias presentes nos desodorizantes podem provocar “problemas gastrointestinais” e também do foro “reprodutor”, para além de alguns dos seus compostos apresentarem “atividade carcinogénea”.

Uma solução natural e eficaz

Mesmo num organismo que se encontre limpo e saudável, o mau odor pode surgir, principalmente quando há um aumento da transpiração, tal como acontece quando fazemos exercício físico intenso ou em dias de muito calor.

Neste caso, o ideal é utilizares um desodorizante natural que seja eficaz e livre de químicos.

Na minha opinião, a maioria dos desodorizantes naturais não funcionam, ou seja, não eliminam eficientemente o mau odor – aliás, em alguns casos, até diria que o intensificam! No entanto, após uma procura, finalmente encontrei um desodorizante natural que funciona lindamente!

No Sweat Deodorant – Ohm Collection

O desodorizante natural No Sweat, da marca holandesa Ohm Collection, é elaborado à base de bicarbonato de sódio – uma substância alcalinizante e extremamente eficaz na neutralização do mau odor. Para além deste ingrediente, estes desodorizantes contêm também diversos óleos essenciais, cujas propriedades são anti microbianas, anti fúngicas, anti bacterianas e anti inflamatórias.

Uma curiosidade interessante, e que eu própria pude comprovar, é que quanto mais usares este desodorizante, menos necessitarás dele. Isto acontece porque os seus princípios ativos, nomeadamente o bicarbonato de sódio e os óleos essenciais, alcalinizam a tua pele, evitando a decomposição do suor e, consequentemente, o aparecimento de mau odor.

O desodorizante No Sweat é totalmente livre de tóxicos e fantástico na eliminação do mau cheiro. Eu comecei a utilizá-lo no verão passado e, desde então, que não uso outra coisa. Outro facto que adorei, acerca deste desodorizante natural, é a sua longa duração, a curto e a longo prazo. Para teres uma ideia, apenas necessito colocar o desodorizante uma vez por dia e, num espaço de um ano, apenas precisei de dois frascos!

Os meus aromas preferidos são os de Lavanda e Blossom 😉

(clica na imagem para acederes ao produto)

Conselho de utilização: molha as tuas mãos, coloca um pouco do pó (cerca de 1 colher de café) nos teus dedos, esfrega-os e depois aplica-o nas tuas axilas. Voilá! 

Para além da utilização de um bom desodorizante natural, como é o caso do No Sweat, sugiro também que, de maneira a prevenires o aparecimento de mau odor, bebas bastante água, utilizes roupa de algodão e tenhas uma alimentação à base de alimentos naturais, como é o caso da fruta, vegetais e cereais integrais.

A transpiração é um fenómeno natural e que necessita acontecer, essencialmente, de modo a eliminar toxinas e a regular a temperatura corporal. Todas as pessoas transpiram e o facto de umas transpirarem mais do que outras, poderá estar relacionado com um desequilíbrio no seu sistema endócrino (hormonal) e nervoso (as pessoas que apresentam níveis de ansiedade e stress elevados, transpiram mais). No entanto, a solução mais eficaz,  no combate ao mau odor, consiste essencialmente num processo de desintoxicação* e na utilização de um bom desodorizante natural.

*- caso desejes fazer uma desintoxicação, sugiro que sejas orientada por um profissional, como por exemplo um naturopata.

Francisca Guimarães

Francisca Guimarães

"No blog, partilho dicas que te vão ajudar a estar bonita, saudável, jovem e cheia de energia."

Share This